Como sua empresa está se preparando para o Black Friday 2019

Neste ano, 83% das pessoas irão às compras na edição da Black Friday no Brasil

A Black Friday, famosa data de descontos, acontece dia 29 de novembro em 2019. A “sexta-feira negra”, como é sua tradução, chega à sua nona edição no Brasil, mesmo já tendo mais tempo nos Estados Unidos. 

Origem da Black Friday

No fim dos anos 90 nos Estados Unidos, o nome Black Friday foi dado para marcar a data que sucedia a Ação de Graças (dia 28 de novembro), pontuando o dia que abre a temporada de compras para o Natal. 

Essa sexta-feira, então, entrou no calendário das empresas para marcar o início do período de maior faturamento nas datas mais agitadas do ano no varejo. 

No Brasil, a primeira Black Friday aconteceu no dia 28 de novembro de 2010 e foi totalmente online, contando com mais ou menos 50 empresas. 

Hoje, 9 anos depois, a Black Friday não está só no online, apesar da preferência dos consumidores ainda ser por compras no ambiente digital. 

Mas quais as preferências do consumidor em 2019?

De acordo com pesquisas realizadas pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) e pela consultoria Ebit/Nielsen, a expectativa para a Black Friday de 2019 no e-commerce é de faturamento acima de R$ 3 bilhões. Isso significa um aumento de 18% em comparação ao ano passado.

O consumidor está confiando mais na data e, até mesmo, aguardando o período para fazer grandes compras, como eletrônicos e eletrodomésticos. 

Segundo pesquisa do Google com a Provokers, a intenção de compra este ano está 58% maior do que a do ano passado na mesma época. 

Um dos motivos é que a quantidade de produtos oferecidos com descontos na Black Friday é maior do que anteriormente, não se restringindo somente a eletrônicos e artigos esportivos, por exemplo.

Outro fator que aumenta a quantidade de vendas é que a Black Friday não se restringe a apenas um dia, podendo se estender para o fim de semana, para a semana ou até para o mês, dependendo da loja. 

Ainda em pesquisa do Google, o número de compradores online deve se quase o mesmo dos que preferem comprar em lojas físicas: 37% declararam que comprarão apenas nas lojas físicas e 38% apenas na internet. Aqueles que pretendem comprar pelos dois canais são 25%.


Então como se preparar para o Black Friday 2019?

Para o varejo, a data é sinônimo de um alto potencial de lucros. Para a indústria e para os fornecedores, é cuidado redobrado nas altas demandas que as datas sazonais trazem. 

As empresas têm que ter em mente que o trabalho não acaba no dia e pode se estender até o fim do ano. As entregas, os prazos e as necessidades dos consumidores não ficam somente na data da Black Friday.

A ideia do fabricante ir direto ao consumidor também não é para ser descartada. Aqui no Brasil, grandes empresas como Nike e Adidas também já aderiram à Black Friday em seus sites próprios.

Mas apesar dessa possibilidade que a tecnologia traz de ir direto ao ponto, há uma preocupação dos setores comerciais sobre o relacionamento com representantes, varejistas etc. 

Porém se a fábrica X não se adaptar a esse novo modelo e ir direto ao consumidor, a concorrente com certeza fará esse caminho. 

Ter também um auxílio tecnológico na parte financeira é estar um passo à frente quando demandas desse tipo chegarem. A plataforma de Financial Facilities da Br Financial, por exemplo, pode ser uma aliada do seu negócio, deixando você livre para focar no crescimento da sua empresa. 

A indústria precisa repensar sua cultura para poder abraçar o engajamento do varejo e das propostas que este traz para as datas sazonais. Usufruir das tendências é também estar perto das inovações que a data propõe.


Leia também : Como a tecnologia ajuda a indústria e fornecedores na Black Friday

Entre para nossa lista e receba
conteúdos exclusivos e com prioridade

Sua inscrição foi confirmada!